Categorias
Artigos BIM Revit

Os 10 melhores recursos do Revit 2022!

Os últimos lançamentos do Revit foram desanimadores. Algumas coisas interessantes aqui e ali. Nós usuários pedimos alguns recursos específicos para melhora de produtividade há anos, ferramentas nativas para substituir as “mil manobras” em certos elementos… mas, em vez disso, a Autodesk introduziu ferramentas que ninguém pediu, como “Linhas esboçadas”.

Mas dessa vez parece que a Autodesk finalmente nos ouviu e lançou uma quantidade absurda de novos recursos M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O-S na versão 2022!

Esse foi o resultado da carta aberta (clique aqui para ler) assinada por uma série de arquitetos e grandes clientes do software em Julho de 2020, questionando e reclamando sobre os altos valores pagos e que não retornavam em melhorias no programa, apenas “perfumarias”.

Aparentemente, a Autodesk ouviu as críticas e preparou a maior atualização em muito tempo. Existem mais de 35 novos recursos e melhorias, bem como correções de bugs e refinamento de desempenho.

Neste artigo exibiremos os 10 melhores recursos para a disciplina de arquitetura na versão 2022. Em breve lançaremos novos artigos abordando sobre as outras disciplinas.

1 – PARÂMETROS DE FASE EM FILTROS DE VISUALIZAÇÃO

A grande vantagem dessa ferramenta é separar os componentes em uma determinada fase através dos filtros.

Por exemplo: No filtro de fase “Construção existente” agora é possível aplicar um filtro para a parte da construção que foi elevada em 1970 da que foi elevada em 2010.

O recurso é sensacional, levando em conta a modalidade de retrofit, estudos de demolição e afins.
Com esta atualização, agora você pode selecionar as regras de filtro de exibição Fase Construída e Fase Demolida.

Para um rápido lembrete, este é o menu de sobreposição de gráficos do Revit. Como você pode ver, você não pode especificar categorias: as configurações afetam tudo igualmente.

Menu de sobreposição de exibição de fases

Com os filtros de visualização, você pode ser muito mais específico. Por exemplo, talvez você queira que tetos demolidos apareçam em vermelho e as escadas existentes apareçam em verde. Podemos configurá-lo com a ajuda do novo recurso:

Utilizando filtros de exibição com fases

Outra limitação do menu de sobreposição de gráficos do Revit é que você não pode especificar efeitos diferentes para fases diferentes. Você está limitado a Existente, Novo, Demolido e Temporário.

Isso não seria um problema se você tivesse apenas as fases Existente e Nova. Mas em projetos em que você tem várias fases, isso pode ser uma limitação irritante.

Digamos que temos um projeto histórico com uma fase que representa anos. Você pode configurar filtros de visualização para ter cada fase com uma cor diferente. À esquerda, você pode ver nossas fases. Abaixo, você pode ver os filtros de fase.

Filtros de vista: diferentes cores para cada subfase

Esta adição é um grande negócio e pode tornar as Substituições Gráficas inúteis para certos projetos.

2 – DIVISÕES EM PLANILHAS

No Revit 2021 você já conseguia dividir uma tabela em várias colunas para que ela coubesse na folha, no entanto não era possível fazer a subdivisão de tabelas para colocar em folhas diferentes.

No Revit 2022 você encontrará esta nova ferramenta na guia de modificação das tabelas, chamada Dividir e posicionar. Ao clicar nele, você verá este menu:

Você terá que selecionar as planilhas que deseja dividir e colocar a configuração. Você pode escolher entre dividir uniformemente para ter a mesma altura da tabela em ambas as tabelas ou definir uma altura personalizada na parte inferior do menu.

Depois de clicar em OK, você terá que colocar a primeira parte da divisão do conjunto em uma planilha. O local na folha será o mesmo nas outras folhas.

Você verá que a planilha será dividida em uma dinâmica “pai / filho” no navegador do seu projeto, e algumas configurações dependentes serão criadas de maneira semelhante às visualizações dependentes:

Uma vez que as tabelas são divididas, é possível modificar o número de linhas de cada parte da tabela, mas apenas na primeira parte. Arraste o ponto azul.

A programação “Pai” ainda pode ser colocada na folha. Depois que os filhos são criados, a ferramenta dividir e posicionar não está mais disponível. Você terá que se livrar dos filhos existentes para reiniciar o processo de divisão e inserção.

3 – PAREDES CÔNICAS

No ano passado, o Revit introduziu um novo recurso chamado Paredes inclinadas. Embora o recurso pareça interessante no início, admito que não o usei nada.

Este ano, você agora tem acesso a paredes cônicas. É uma parede reta de um lado, mas inclinada do outro. Esse é o tipo de recurso que poderia ser útil para criar muros de contenção (arrimo), por exemplo.

O recurso é implementado de forma semelhante a telhados com espessura variável. No menu de estrutura de parede, agora você pode marcar a caixa Variável:

Existem duas maneiras de controlar a conicidade da parede. A primeira é configurá-lo nas propriedades de tipo da parede, no painel “Propriedades da seção transversal”. Você pode definir uma conicidade para os lados interno e externo. Defina um valor para esses parâmetros de ângulo.

Você também pode definir o parâmetro Width Measure At (largura do topo) e escolher entre Top (superior) e Bottom (inferior). Ao usar topo, a largura “regular” da parede, 689 mm neste caso, ficará localizada no topo da parede. Com a opção inferior, a largura padrão da parede de 689 mm ficará na parte inferior.

Um valor de ângulo positivo sempre afunilará a parede no lado interno, enquanto um valor negativo afunilará a parede no lado externo. Assim:

Confira alguns tipos diferentes de parede com diversos valores de topo / base e positivo / negativo para ângulos:

Também é possível modificar os parâmetros da seção transversal nas propriedades de instância das paredes. Você terá que marcar a caixa Substituir Propriedades do Tipo. Em seguida, você pode alterar o ângulo das propriedades do tipo:

Outra maneira intuitiva de modificar os ângulos cônicos da instância da parede é arrastar os pontos azuis em cada canto da parede:

4 – EXPORTAÇÃO DE PDF NATIVO

No Revit 2021 e anteriores, não existia ferramentas de exportação de PDF nativas. Você sempre tinha que usar uma impressora PDF paga ou uma gratuita que você pudesse encontrar online … O Microsoft Print-to-PDF é muito bom, mas não contém todos os tamanhos de folha padrão AEC (eu particularmente utilizo muito o Foxit PDF, é sensacional).

No Revit 2022 Verifique o menu Exportar. Um novo botão de exportação de PDF! Não é ótimo?

Confira a caixa de diálogo de exportação de PDF completa:

As configurações de exportação são muito semelhantes às configurações de impressão. Você pode selecionar várias folhas clicando no ícone de lápis.

A nova seleção de visualizações / folhas é muito melhor do que a para impressão. Você pode pesquisar por planilhas e mais opções de filtro estão disponíveis. Existe também um pequeno ícone que indica o tipo de vista / folha.

Um recurso incrível é a capacidade de selecionar como uma opção de exportação. Isso já estava disponível no excelente plugin gratuito ProSheets da DiRoots, mas é sempre útil ter essa ferramenta disponível nativamente. Você notará que ao selecionar esta opção, a opção Orientação fica bloqueada: a orientação será determinada automaticamente pelas dimensões da folha.

Isso significa que você pode imprimir os formatos 11×17 e 36×48 no mesmo PDF. Não há necessidade de cortar e combinar PDFs novamente!

Outro recurso útil que já estava disponível nas configurações de impressão antigas, mas percebi que muitas pessoas não usam links Exibir em azul.

Quando ativados, os links nos itens de detalhe ficam azuis. Como você pode ver, você pode clicar em referências no PDF. Você vai pular para a página com a referência!

Muitos usuários podem pensar, “duh, eu uso hyperlinks há anos”. Mas eu encontro usuários diariamente que não têm nenhuma ideia sobre isso. Sua impressora PDF deve ser compatível com o recurso de hiperlink, mas as configurações de exportação de PDF nativas do Revit têm esse recurso por padrão (e poupam muito tempo).

NOMEANDO PDFs SEPARADOS

Se você decidiu criar PDFs separados, pode usar este menu para personalizar o nome dos PDFs.

Aqui, você pode adicionar parâmetros para o nome das planilhas. Adicione prefixo, sufixo e separadores. No exemplo abaixo, o nome do PDF pode ser algo como: “Ceiling-Ceiling Level 2-A200”.

Recurso legal, mas o plugin ProSheets gratuito da DiRoots faz algo semelhante, e você também pode exportar para CAD ou outros formatos.

DICA: CRIE UM ATALHO DE TECLADO PARA ESTA FERRAMENTA

Passamos muito tempo exportando PDFs. Você provavelmente nunca deve usar a ferramenta de impressão e sempre criar um PDF antes de fazer a impressão propriamente dita. Portanto, a ferramenta exportar PDF será muito usada!

É por isso que você deve configurar um atalho de teclado para a ferramenta. A ferramenta é chamada de PDF. Nesse caso, criamos o atalho do XP (abreviação de Xport PDF, é claro).

5 – TAGS MULTI-LEADERS

No Revit 2021 e anteriores, se você tiver vários elementos da mesma categoria lado a lado, você deve criar tags separadas, como nesta imagem:

No Revit 2022, após a criação de uma tag, você pode acessar a ferramenta Adicionar / Remover hospedeiro na guia contextual. Selecione a ferramenta e adicione os elementos que deseja atribuir à tag existente.

Nova ferramenta de adicionar ou remover hospedeiro

Agora, basta clicar nas paredes adicionais que deseja adicionar.

Se você tentar marcar um parâmetro que possui valores diferentes em vários hosts, será exibido em sua tag.

6 – PARÂMETROS COMPARTILHADOS EM CHAVE DE TABELAS

Alguns de vocês podem não ter ideia do que são as chaves de tabelas. Elas são usados para controlar os valores dos parâmetros de vários elementos de uma vez, atribuindo-lhes uma “chave” (um valor em uma lista de valores).

Vamos tentar criar um exemplo de uma chave de tabela usando a categoria Salas. Ao criar uma configuração, certifique-se de marcar o botão “Chave de tabelas”. Neste caso, adicionaremos os acabamentos de piso, parede e teto.

Para ficar claro, esses são recursos já disponíveis em versões antigas do Revit.

No início, sua programação aparecerá vazia. Clique em Inserir linha de dados na guia modificar para criar uma nova “chave”.

Adicionar e remover linhas para tabelas vazias

Adicionamos algumas teclas e atribuímos diferentes parâmetros aos acabamentos. Neste exemplo, criamos 2 chaves: local seco e molhado com os diferentes acabamentos dos quartos.

Aí vem a parte legal: em vez de atribuir os acabamentos corretos aos quartos um por um, você pode definir um “estilo” chave para o quarto. Em uma programação de sala padrão, começamos a atribuir chaves, e as terminações são preenchidas automaticamente:

Menu de seleção de chave em tabelas comuns

Uma vez que as salas foram atribuídas a uma chave, você não pode modificar individualmente os parâmetros de acabamento. Você terá que voltar a tabela principal.

A tabela (configuração) principal é usada internamente para controlar os dados. Ainda assim, você pode colocá-lo em uma planilha interna de “trabalho” ao lado da configuração real da sala para manter seu projeto organizado. Assim:

Depois que uma configuração de chave de tabela é criada para uma categoria, o parâmetro “chave” aparecerá nas propriedades de instância de cada elemento da categoria. Você também pode modificar a chave lá se não quiser usar tabelas. Você também pode ver que os parâmetros incluídos em uma chave exibirão um símbolo = na forma quadrada, o que significa que se você for modificar esse parâmetro, terá que alterar a chave.

Finalmente, é possível criar várias tabelas de chave principais. Cada tecla pode controlar parâmetros específicos. Por exemplo, a chave #1 pode conter Acabamentos, enquanto a chave #2 controla a ocupação e o departamento.

Neste exemplo, criamos uma segunda chave de quarto para departamento e ocupação:

Depois que essa programação de chave é criada, cada sala agora tem 2 chaves diferentes!

Duas chaves podem ser aplicadas no mesmo ambiente

De qualquer forma, essa foi uma introdução bastante longa. A razão é que sentimos que a tabela principal é desconhecida e subutilizada por muitos usuários. Queríamos ter certeza de que todos sabem o quão incrível essa ferramenta pode ser.

Novo no Revit 2022: A limitação das programações de chave na versão anterior é que você não podia usar os parâmetros compartilhados! Isso foi corrigido no Revit 2022. Verifique os parâmetros compartilhados que adicionamos às nossas salas aqui:

No Revit 2021, você não pode adicionar esses parâmetros compartilhados as principais tabelas. No Revit 2022, você pode:

7 – FAMÍLIAS DO SISTEMA EM TABELAS DE MULTI-CATEGORIA

No Revit 2021 as tabelas multicategorias mostrarão apenas famílias carregáveis como portas, janelas, móveis, etc.

Já no Revit 2022 as tabelas de várias categorias agora mostram famílias de sistema como paredes, tetos, telhados e pisos. Isso além das famílias carregáveis. Ao criar a programação de várias categorias, você terá acesso a parâmetros úteis como Categoria. Aqui estão as novas categorias disponíveis:

  • muro
  • Teto
  • Chão
  • Guarda corpos
  • Rampas
  • Escadas
  • Tetos
  • Montantes da parede cortina
  • Plataformas (terreno)

Além dessas categorias, também existem subcategorias que você pode tabelar. Todas essas categorias também estão disponíveis para levantamento de materiais.

  • Parede : varredura de parede
  • Telhado : fachada, calha, sofitos
  • Piso : Borda da Laje
  • Escadas : corrimão, patamar e pisos

Ao criar a programação de várias categorias, você terá acesso ao parâmetro de categoria:

Infelizmente, ainda existem limitações para programações de várias categorias. Por exemplo, você não pode usar parâmetros de fase como Fase criada e Fase demolida. Ainda assim, agora você pode ter quase todos os elementos em uma tabela, o que é útil para gerenciar grandes modelos.

8 – VER FILTROS DE SELEÇÃO MÚLTIPLA

No Revit 2021 os filtros de vista devem ser selecionados, ajustados e movidos um a um. Se você tivesse que definir a mesma substituição de gráfico para vários filtros de exibição de uma vez, teria que ser feito um de cada vez.

No Revit 2022 agora você pode selecionar vários filtros de uma vez usando CTRL ou SHIFT. O primeiro benefício é que você pode adicionar substituições gráficas a vários filtros de visualização em vez de adicioná-los individualmente:

Outra vantagem é a capacidade de mover os filtros de visualização para cima e para baixo na lista enquanto “agrupados” desta forma. Lembre-se de que os filtros de visualização no topo da lista têm prioridade sobre os da parte inferior.

9 – FLEXIBILIDADE DE NUMERAÇÃO DE REVISÕES

No Revit 2021 a numeração das revisões pode ser personalizada, mas as opções são limitadas. Aqui está a aparência do menu antigo. Ao definir revisões de folhas, você está limitado a Numérico e Alfanumérico.

No Revit 2022 você pode ter várias sequências. Primeiro, você pode criar várias sequências de numeração. No exemplo abaixo, criamos uma sequência personalizada com um número inicial, prefixo e número mínimo de dígitos.

De volta ao menu principal de revisões, podemos alternar as revisões para qualquer sequência de numeração. Usamos a sequência numérica, alfanumérica e personalizada que criamos.

Dica de integração: Isso será extremamente útil quando você tiver folhas para vários lotes. Em projetos onde você pode emitir diferentes conjuntos de planos para o exterior, interior ou outros, você pode criar sequências diferentes.

Para os viciados em normas por aí, isso permite que suas revisões sejam compatíveis com os padrões BIM ISO 19650 (também utilizado nas normas ABNT NBR 19650).

10 – IDENTIFICAÇÃO, FILTRAGEM E PESQUISA APRIMORADAS DO TIPO DE PARÂMETRO

No Revit 2021, na seleção dos campos de tabelas, você tinha uma lista enorme de parâmetros, mas nenhuma maneira de pesquisá-los ou filtrá-los.

No Revit 2022 A equipe do Revit reformulou este menu! Agora você pode selecionar se deseja ver os parâmetros de tipo ou instância, filtrar por disciplina, nome ou tipo de parâmetro. Além disso, o número total de campos disponíveis será exibido. Este menu aprimorado não está disponível apenas em planilhas, mas também no menu Parâmetros do projeto.

Isso é apenas arranhar a superfície do que o novo Revit 2022 tem a oferecer! Existem 36 novos recursos no Revit, este post cobre apenas 10.

Categorias
Artigos BIM

Realidade Virtual e BIM na Construção

A realidade virtual (VR) em relação à construção é a capacidade de pegar um modelo tridimensional gerado por computador e fornecer a capacidade de visualizar, percorrer e interagir com o modelo antes da construção.

Através do uso de óculos especiais e de fácil acesso, os indivíduos podem experimentar dinamicamente a estética de um edifício e fornecer uma compreensão espacial de sua forma antes do início da construção.

A realidade virtual é uma extensão do processo BIM e, embora todos saibamos que o BIM pode otimizar a entrega de edifícios ao fornecer maior eficiência em todas as fases do ciclo de vida do edifício, o BIM não incentiva a exploração da forma, do espaço e da estética como a Realidade Virtual (VR) pode.

A VR também pode desempenhar um papel importante em todos os estágios do processo de projeto à construção, desde a avaliação das opções de arquitetura e apresentação de propostas até a correção de erros e a correção de problemas de construção e manutenção antes de iniciar o trabalho no local.

Mesmo nos estágios conceituais ou de adaptação, a VR pode ser um meio eficaz de explorar as relações entre os espaços; o impacto da luz em uma sala em diferentes momentos do dia ou do ano, vistas do mezanino ou layout de móveis e tipos de móveis, revestimentos de parede e piso. Com um modelo em escala física ou modelo BIM na tela, você ainda precisa imaginar como seria existir dentro do espaço. Com a VR, você realmente experimenta a proporção e a escala.

Uma coisa é modelar um edifício em um sistema CAD 3D, mas usar a VR para experimentar como será a sensação e a função pode levar o design a um nível totalmente novo. Projetistas podem entrar em imersão dentro de seus trabalhos, incentivando novas ideias ousadas e mais interação.

Ao implantar a realidade virtual, muitas empresas procuram começar com um sistema básico como o Enscape ou 3DS Max em conjunto com um óculos de realidade virtual dos mais baratos até os mais avançados, como o HTC Vive ou o Oculus Rift.

Recursos e benefícios da realidade virtual

  • Experiência, consciência e interação aprimoradas com o cliente
  • Usado pelo cliente como ferramenta de vendas
  • Aplicativos de planejamento aprimorados
  • Melhor colaboração e comunicação entre Projetistas, Empreiteiros e Subcontratados
  • Retrabalhos e incompatibilidades reduzidas
  • Redução de riscos
  • Veja os conflitos potenciais mais cedo
  • Treinamento
  • Treinamento de saúde e segurança
  • Marketing
  • Imagens de relações públicas, estudos de caso e promoção interna

Ficou interessado em explorar esses potenciais da Realidade Virtual em conjunto com o BIM? Então não deixe de conferir nosso treinamento do Zero ao Avançado, nele contemplamos além da disciplina 3D para prefeitura (projeto arquitetônico/legal), a Realidade Virtual através do Unreal Engine e também através da visualização 360º nativa da suíte Revit.

Categorias
Artigos BIM

Como o BIM impactou a construção e qual o seu futuro?

O BIM é frequentemente descrito como uma tecnologia, automação ou um software específico. No entanto, é na verdade um processo que produz um modelo de informações de construção, entre outras coisas.

Embora a adoção do BIM tenha normalizado o projeto 3D de um edifício, as mudanças em direção à centralização de dados e os avanços na tecnologia estão revelando as soluções para problemas de projeto complexos que apresentam oportunidades incríveis à comunidade de projetos.

Em termos simples, o BIM é uma representação digital das propriedades físicas e funcionais de um edifício e inclui informações sobre cada componente que entra em um projeto. O modelo 3D resultante ajuda arquitetos, engenheiros e profissionais da construção a criar e projetar com mais eficácia, conectando o modelo 3D ao desenho 2D.

Como isso afetou o projeto de construção?

Desde que a Autodesk introduziu a capacidade de equipes trabalharem simultaneamente em um único modelo em 2004, o Revit tem sido a base da adoção da modelagem 3D e BIM pela indústria de AEC. Com a adoção do modelo baseado em nuvem de hospedagem em BIM360, equipes de projeto em todo o mundo agora podem trabalhar juntas em uma única plataforma.

Enquanto os ambientes de dados comuns (CDE) como o BIM360 estão eliminando silos de informações e reduzindo o atrito no compartilhamento de dados BIM, eles também destacaram a importância da comunicação entre os parceiros de design fora do modelo para entender os objetivos e o status do projeto.

Além disso, a criação paralela de modelos 3D ao lado de desenhos de construção 2D tradicionais expandiu o conjunto de habilidades exigidas da equipe de AEC para dar suporte à modelagem 3D, interoperabilidade e visualização de modelos.

A adoção de software BIM e CDEs foi possibilitada por avanços em software de modelagem, poder de computação e recursos de nuvem. Essas tecnologias combinadas também permitiram análises avançadas que potencializam os modelos 3D, incluindo modelagem de elementos finitos, dinâmica de fluidos computacional, modelagem de energia, estudos de luz do dia e sequenciamento de construção.

Enquanto os projetistas podem ter considerado anteriormente apenas um punhado de soluções para um determinado design, o design generativo no software BIM permite que centenas ou milhares de opções sejam geradas e analisadas para que a melhor opção possa ser selecionada.

O que vem a seguir?

Se os últimos 10 anos foram para mudar para 3D e automatizar fluxos de trabalho, os próximos 10 serão sobre como aplicar essa automação para resolver novos problemas, tornando-se orientado por dados e integrando a cadeia de suprimentos.

As empresas de AEC precisarão abordar conjuntos de habilidades em constante mudança, competição por talentos e desenvolver relacionamentos para envolver novos parceiros para resolver problemas emergentes. Nos próximos anos, podemos esperar que os resultados do projeto mudem dos desenhos físicos para o BIM, especialmente à medida que as empresas adotam a ISO 19650.

Transformação Digital

A entrega de desenhos físicos às autoridades municipais e proprietários de edifícios será substituída por desenhos eletrônicos e BIM por meio de ferramentas como o Pyle (recentemente adquirido pela Autodesk).

Acompanhando a entrega eletrônica, veremos um movimento para adotar uma assinatura digital de entregas. Não apenas a digitalização de um selo, mas usando uma solução de assinatura digital certificada. Essa mudança pressionará os profissionais licenciados e os conselhos para entender como gerenciar o risco de “estampar” os produtos digitais.

Enfrentando novos desafios

Os crescentes grupos de partes interessadas e o crescente conjunto de ferramentas analíticas posicionam os profissionais de AEC para enfrentar uma série de desafios emergentes, desde a concepção do projeto até o gerenciamento das instalações.

Pessoas – novos parceiros, novo treinamento

Soluções inovadoras requerem engajamento com novos stakeholders. Em alguns casos, isso significa que haverá novos clientes. Em outros casos, isso significa que as empresas de AEC ficarão mais próximas dos clientes existentes em todos os níveis da cadeia de suprimentos, desde gerentes de dados a planejadores mestres, fabricantes e equipes de manutenção predial.

Conforme as empresas adotam a ISO 19650 e aumentam seus próprios requisitos de dados, as empresas de AEC terão que ser ágeis para atender a esses requisitos. Isso exigirá a qualificação constante da equipe existente e o treinamento de novos recrutas para acompanhar o ritmo das mudanças tecnológicas.

Novos problemas – segurança e dados

À medida que os edifícios se tornam hospedeiros de mais e mais tecnologia usada para adaptar a experiência aos ocupantes, novos riscos se apresentarão em torno da segurança e privacidade dos dados. A tecnologia de construção moderna precisará resolver os problemas de segurança que atormentam os sistemas SCADA (controle de supervisão e aquisição de dados) que controlam a infraestrutura crítica e as empresas de AEC terão que aprender como gerenciar os dados e mitigar os riscos associados.

A mudança para o software BIM afetou as empresas de design de edifícios, tanto na forma como administramos nossos negócios quanto em como fazemos nosso trabalho. Embora o BIM tenha resultado em eficiências de fluxo de trabalho, ainda precisamos concretizar um verdadeiro produto BIM.

Ambientes de dados comuns, como o BIM360, centralizaram as informações do projeto e melhoraram a coordenação do projeto, mas também abriram as portas para novos participantes e requisitos do projeto. Responder a esses requisitos oferece uma oportunidade para os designers aproveitarem seus recursos de design e tecnologia emergente para resolver novos problemas.

Ao promover a inovação, melhorar as capacidades técnicas e reduzir as barreiras à entrada, o BIM equipou as empresas AEC para responder às necessidades emergentes em um mundo cada vez mais incerto.

Categorias
Artigos BIM

Biblioteca BIM para Blocos de Concreto

Associações brasileiras lançam em conjunto a primeira biblioteca BIM nacional para sistemas de alvenaria estrutural.

Um trabalho conjunto entre a Associação Brasileira de Cimento Portland, SENAI e a Associação Brasileira de Indústria de Blocos de Concreto permitiu a criação da primeira biblioteca nacional de blocos de concreto especificamente para as plataformas em BIM.

O trabalho, iniciado em setembro de 2019, foi inaugurado em maio deste ano, possuindo várias interfaces para as etapas de planejamento, projeto e construção de empreendimentos que utilizam o bloco de concreto como sistema construtivo, sendo esta adequada à ABNT NBR 6136 de 2016 (Blocos vazados de concreto para alvenaria – requisitos).

Dentro da biblioteca estão todas as famílias de blocos de concreto de vedação e estrutural fornecidos pelas indústrias brasileiras. Esse trabalho garante critérios de segurança, confiabilidade e qualidade aos projetistas, construtores, arquitetos e engenheiros calculistas, dando agilidade a todo o processo construtivo.

Esse é um marco para a área da construção no Brasil, sendo o primeiro case de uma biblioteca completa sobre um produto específico deste setor. Além da inovação alinhada a metodologia BIM, os benefícios incluem a redução dos custos da obra e maior controle e qualidade sobre o serviço prestado.

O exemplo disponível na biblioteca BIM é do tipo residencial multifamiliar de 4 pavimentos tipo e 4 unidades por andar, com aproximadamente 43m². Esse trabalho abrange 3 desafios para a popularização da metodologia a nível nacional, sendo a disponibilidade de bibliotecas, profissionais especializados na tecnologia e a normatização.

Além de todas as vantagens apresentadas, a BlocoBrasil disponibiliza o download gratuito do manual para operar a biblioteca BIM para blocos de concreto, incluindo as informações parametrizadas para o cruzamento de informações importantes de projeto.

Link da Biblioteca: http://www.blocobrasil.com.br/site/2020/05/20/biblioteca-bim-blocos-de-concreto/