Blog do Estúdio BIM

10 verdades sobre o BIM que ninguém vai te contar

O objetivo de fazer o BIM integrante de todos os processos de projeto dentro dos próximos cinco anos é um aspecto importante da estratégia das empresas para 2011-2020 e para ajudar a facilitar essa ambição é que foi realizada essa pesquisa.

É interessante ter uma compreensão mais clara de como BIM é percebido em todo o mundo. Quando você está na vanguarda de uma mudança de longo alcance às vezes é uma boa idéia dar um passo atrás para se obter o quadro completo, para entender como os outros interpretam o BIM, como está sendo adotado, onde os clientes estão indo e como será o retorno. Acima de tudo, queremos entender como pode ajudar a impulsionar o desenvolvimento e a aceitação em todo o setor.

O objetivo dessa pesquisa foi compreender como o BIM é percebido e discutido em todo o mundo, em diferentes partes indústria da construção civil (Arquitetura, Engenharia e Construção) e entre os estudantes. Sua abordagem combinou entrevistas e pesquisa documental com análise estatística de mídia on-line e envolvimento com a profundidade da leitura de 600 mil artigos de todo o mundo.

Dez grandes temas, ou “verdades” foram identificadas, algumas relativas à forma de como o BIM é percebido hoje, outras lidando com a forma de como BIM vai afetar a transição da indústria da construção civil e as barreiras à mudança e, por fim, alguns dos temas são mais visionários considerando-se as conseqüências de longo prazo, onde BIM tem o potencial para se tornar a espinha dorsal de informações de toda uma nova indústria.

As 10 Verdades sobre o BIM (Building Information Modeling)

1. O BIM é uma plataforma 3D
A evolução tecnológica abre novos caminhos para o projeto e o BIM não é exceção. A função 3D permite formas complexas e a capacidade do software para lidar com cálculos sofisticados permitirá que os engenheiros estruturais expandam suas fronteiras com projetos cada vez mais ousados.

2. O mais importante é a informação
Imagens bonitas podem impressionar, mas é como uma ferramenta de gerenciamento de informações que o software BIM realmente brilha. Uma das razões para a lenta adoção do BIM no setor de engenharia civil é que a comunidade BIM tem-se centrado em “construção” em detrimento da “informação”.

3. A cor do BIM é verde.
Usá-lo corretamente irá reduzir o tempo de projeto e, assim, o uso de energia, bem como os custos. O BIM irá reduzir o desperdício de materiais durante a construção e gestão do edifício e, eventualmente, auxiliar na demolição sustentável. Modelagem de energia também pode minimizar o uso de energia na vida útil de um edifício.

4. O BIM vai mudar a indústria da construção.
Ao contrário do CAD, onde uma única atividade é processada deixando macroprocessos em grande parte intactos, o BIM vai mudar tudo. Não adianta tentar implementar software BIM em toda a indústria com a expectativa de que as coisas não vão mudar. Elas vão.

5. Compromisso de todos envolvidos
Os benefícios de trabalhar a forma com o BIM só vêm com uma estreita colaboração. Se um membro de uma equipe de projeto está usando o BIM, enquanto os outros continuam fazendo as coisas da maneira antiga, haverá benefício limitado. Para fazer com que o investimento valha a pena, tem que se quebrar esse impasse.

6. As empresas devem trabalhar em equipe.
As empresas e as disciplinas que trabalham separadamente, interagindo apenas só através da troca de documentos de construção não vão fazer muita coisa. O BIM tanto permite como exige uma integração mais estreita.

7. Tanto o software como os profissionais devem trabalhar em conjunto.
Simplesmente trabalhar em conjunto não é suficiente, os hábitos e rotinas devem ser alinhadas de forma a tornar natural a cooperação. O software terá de ser desenvolvido para permitir uma integração perfeita, e assim como as atitudes dos profissionais.

8. Novos contratos vão surgir.
Tanto a digitalização como a colaboração estreita desafiam o sistema vigente de propriedade intelectual. Há duas rotas de desenvolvimento possíveis. Um deles é uma maior especialização onde a propriedade reside com os especialistas de modelagem. A outra é a consolidação em empresas gigantes, onde as empresas trabalham mais de perto resolvendo as questões de propriedade.

9. Diferentes plataforma de software.
A luta pela supremacia nos assola no mundo do software. Dependendo do resultado de lutas de poder atuais, o ambiente digital na nova indústria da construção civil estará de acordo com um dos três tipos: padrão aberto, padrão fechado e proprietário, ou não, em vários padrões.

10. O BIM vai se tornar o DNA da futura construção.
Quando o sistema é suficientemente simplificado, podemos começar a concentrar-se em usá-lo. Uma vez que a infra estrutura de informação básica está no lugar e aprendemos a trabalhar com ela, várias tecnologias, em uso ou em desenvolvimento, podem ser trazidas para dentro.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp