Categorias
Artigos BIM Internet das Coisas

O BIM e a Internet das Coisas (IoT)

Com a popularização e fácil acesso à Internet das Coisas, seja através de kits Arduino ou Raspberry, começamos a finalmente ver aplicações práticas e muito importantes dessa nova tecnologia, com grande viabilidade comercial.

Agora, já pensou o que aconteceria se nós resolvermos misturar o BIM a IoT? Já imaginou monitorar em tempo real a temperatura, umidade, níveis de dióxido de carbono e de iluminação nos ambientes através de interfaces modernas e interativas?

Em tempos de massificação do acesso à internet e às tecnologias, criar um dispositivo IoT está se tornando cada vez mais barato e fácil, afinal, o que não falta é conteúdo e repositórios na internet para os mais diversos projetos.

E com isso, aplicações cada vez mais práticas vem surgindo no mercado, como o desenvolvimento de redes de sensores e sistemas sofisticados de controle de edifícios coletando milhares de dados por segundo.

E o que isso tem a ver com o BIM?

Bom, através do IoT em conjunto com o IFC, podemos monitorar o edifício de forma visual e interativa, ajustando os níveis de resfriamento dos ambientes de forma automática a medida que as pessoas se reúnem num ambiente, juntamente com a posição do sol durante o dia em relação ao edifício e a concentração de dióxido de carbono neste local.

Os sistemas também podem monitorar o nível da luz natural no ambiente e regular as luzes artificiais para que um nível satisfatório de iluminação, como exemplo pela NBR 15575, seja atendido, garantindo o conforto dos ocupantes.

Toda essa coleta de dados também pode criar um mapa de calor durante um período estipulado, para que medidas de retrofit visando o desempenho térmico sejam atendidas. E não só o conforto térmico, mas os relatórios de iluminação e sonoro também podem ser registrados.

Além disso, estes dados podem ser sincronizados com poderosas ferramentas de leitura e visualização de forma amigável e interativa, como o Power BI da Microsoft, e o melhor, tudo através da nuvem, sem precisar de um servidor local!

Não seria bacana você visualizar a planta do seu imóvel na tela de um dispositivo como a Alexa da Amazon te informando todos estes parâmetros da sua residência? Até mesmo informando sobre a umidade da terra em seu jardim?

Mas as aplicações não param por aí! No canteiro de obras, as etiquetas RFID podem ser coladas às matérias primas, como em cada saco de cimento no estoque e então, a cada vez que alguém retirar o suprimento do armazém, o saco passaria por um leitor RFID que em tempo real, removeria do estoque este componente.

Essas são apenas algumas das maneiras interessantes pelas quais a indústria da construção está aprendendo a ser mais sustentável com a ajuda da IoT.